Relação com o trabalho

Como anda a sua relação com seu trabalho?

Você considera que esta relação esteja saudável?

Não sei se acontece o mesmo com você, mas cada vez mais, as pessoas têm se queixado de seus trabalhos para mim. Muitos têm dito não estarem satisfeitos com seus trabalhos, seja pelo excesso de tarefas ou simplesmente, pela não identificação com ele. Sintomas como insônia, cansaço excessivo, irritação ou constante estado de melancolia, são comumente apresentados.

E entre estas pessoas, não estão apenas aquelas que trabalham no CLT, muitos são empreendedores.

O empreendedorismo costuma ser muito romantizado no mundo afora com frases como: “trabalhe com o que se ama e você nunca irá trabalhar”. Mas será que as coisas realmente são assim?

Quando se fala em empreender, muitos acreditam em uma idealização, de que ao fazerem o que realmente amam trabalharão mais satisfeitos, afinal trabalham para si mesmo e não para os outros, eles têm a liberdade de fazerem o próprio horário ou definirem as tão sonhadas férias, mas quando vão para a prática dessa idealização, as coisas são completamente diferentes.

E isso não é conversa de quem empreende há oito anos e está frustrada com a própria escolha, ao contrário, estou extremamente satisfeita por começar a empreender, no entanto, não posso dizer que tudo é um mar de rosas.

No exato momento que deixei de ser CLT para empreender, comecei a perceber que as responsabilidades eram grandes e foi quando o excesso de autocobrança, me sucumbiu.

Outro dia, conversando com uma amiga empreendedora, que está dando um grande passo para o crescimento do próprio negócio, ela me disse estar começando a apresentar as primeiras noites insones e isso aumenta o estresse no dia-a-dia, ao passo que o próprio estresse leva a outras noites insones. 

Ela hoje, trabalha no formato que sonhava trabalhar, fazendo exatamente o que sempre quis fazer, mas isso não lhe tira o peso da responsabilidade e de tomar todas as decisões importantes, sozinha, assim como prestar conta para os clientes, aliás o trabalho dela exige muita dedicação, disciplina e organização, além é claro, de mais responsabilidade.

O que é estranho para mim, é que os sites e vídeos que vejo na internet, pouco falam do estresse do empreendedor, aliás, quando se busca sobre empreendedorismo, o que costuma aparecer são títulos como: “torne-se seu próprio chefe”; “viva do que ama”; “trabalhe menos e ganhe mais”, mas pouco se fala, dos problemas enfrentados pelos mesmos.

Se você é empreendedor, sabe bem o receio que é, chegar o dia do pagamento dos boletos e não ter com o que pagar; compreende o fato de ter que ser o departamento comercial, operacional, financeiro e recursos humanos, tudo simultaneamente; se tem funcionários ficam imaginando se conseguirão desenvolvê-los e remunerá-los com um valor justo, aliás pagar o salário no dia correto é uma das preocupações envolvidas; há também o medo de não haver vendas e, nessa altura, o negócio deixar de existir.

E por todos esses medos, você se inscreve em cursos, palestras e está sempre na busca de se manter atualizado, mas no fim, sempre sentirá que está atrasado.

Em meio de tantos anseios, você se esquece de que é um ser humano, acreditando que poderá agir como máquinas e produzir como tal. Mas quem consegue produzir, estando no meio de tantos conflitos e anseios?

A minha relação com o trabalho vem passando por mudanças porque percebi, que nestes oito anos empreendendo, me sujeitei a tantas cobranças, que a ansiedade foi aumentando mais e mais, e agora me encontro em um momento de desconstruir todo idealismo que havia construído em relação ao empreendedorismo.

Sinto que para continuar fazendo o que optei em fazer por amor, preciso respirar mais, sentir mais e compreender o quanto humana sou. Compreendo que estes anos, fazendo da forma como sabia fazer, me fez alcançar o que muitos intitulam como “sucesso”, porém, agora posso relaxar.

E você, já se perguntou como anda sua relação com o trabalho, seja ele como CLT ou como empreendedor?

Tente se lembrar de quando tudo começou. O que te motivou a fazer o que faz?

Quando estamos em uma vida automatizada, sempre na pressa das realizações em busca de alcançar algo, esquecemos no meio do caminho, o porque fazemos o que fazemos e daí começam as frustrações.

Estou aqui por uma única razão, levar educação empreendedora em uma linguagem simplificada para o maior número de pessoas.

E você, está aqui porque mesmo?

Publicado por Elisangela Baptista

Ama viagens, lama, trilhas e outras aventuras. Consultora e mentora estratégica em negócios. Aspirante à Escritora. Educadora em Empreendedorismo. Palestrante. Atua na área desde 2004.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: