Sejamos humanos

Certa vez, ouvi na graduação que um bom administrador é aquele que consegue separar a vida pessoal do trabalho.
Certa vez, ouvi em uma palestra que um bom empreendedor, é aquele que consegue separar suas emoções do negócio.
Essas afirmações na época fez sentido para mim, comecei a usar delas, para tentar me abster das emoções na minha rotina de trabalho.
Acontece que, após passar anos tentando ocultar o que realmente sentia, lutando para esconder meus próprios sentimentos, querendo mostrar uma frieza inexistente, me custou alto. Não digo que estava errada em ter essa postura perante a vida por anos e anos, porém, hoje, percebo que parte da energia que me esvaiu, estava em tentar sustentar uma imagem que não era a minha.

Por que as emoções interferem na economia?

Ainda me lembro de algumas aulas de economia, no tempo da faculdade e do MBA.
Quando os professores trouxeram as teorias da economia, mostrando o quanto o ciclo econômico tem relação com as emoções, a princípio duvidei.
Sempre acreditei que matemática financeira e economia, seguiam apenas os números e planilhas.
Até que fui aprendendo com o tempo, que as emoções interferem nas ações das pessoas em todos os sentidos, inclusive na economia.