A importância de olhar para si

Mais um fim de domingo chegando, olho para a minha agenda, vejo a quantidade de compromissos profissionais que tenho que dar conta durante toda a próxima semana, começo a sentir um aperto no peito, uma certa angústia, que me faz pensar se tudo isso realmente vale a pena.

Bom, este não é um relato da minha vida de hoje, mas é a de 4 anos atrás, quando meu foco era pura e simplesmente a vida profissional. Não costumava olhar muito para mim, muito menos ter compromissos pessoais disputando com os profissionais na minha agenda, até que, no auge do estresse, vi que algo precisava mudar com urgência.

Fiz este relato aqui não para que se angustie com a minha história, mas para que faça uma pausa e olhe para si, veja se você também não está seguindo este caminho automático na sua vida.

É comum, na nossa rotina, ativarmos o botão do automático e seguirmos a vida como se tudo se resumisse a trabalho, porém, ao longo do tempo, este comportamento pode gerar ansiedade, estresse e até depressão.

Me diz uma coisa: quantas vezes por semana você pratica exercícios físicos? Ou se joga em algo que adora fazer, como um hobby? Ou marca aquele café ou chopp com uma amiga que não vê há tempos? Ou simplesmente, tira um dia inteiro, para assistir aquela série da Netflix que você está de olho, mas acha que perderia tempo demais ficando na frente da TV?

São perguntas que te faço apenas para te falar que o seu trabalho aqui é apenas o seu ofício. E, para quem trabalha com o que ama, às vezes, acaba misturando prazer e obrigação, mas que não deixa de ser apenas trabalho; a vida continua acontecendo enquanto trabalhamos.

Se você, assim como eu, precisa de um argumento ainda maior para focar em si, do que apenas não deixar a vida passar por você, pense que toda vez que saímos da “bolha” em que vivemos no trabalho, e fazemos algo diferente da rotina, nos tornamos mais criativos, produtivos e inspirados.

Quando me dei conta de que era preciso mudar algo por aqui, comecei incluindo exercícios físicos na minha agenda, depois inclui terapias, cafés com amigas, passeios com a família, prolonguei fins de semana com viagens e deixei de me sentir culpada por isso.

Hoje, por incrível que pareça, tenho um número muito maior de consultorias dentro do mês, além de outros compromissos profissionais, mas não me sinto mais estressada ou como se não estivesse vivendo a própria vida. Quando comecei a cuidar de mim, tudo ficou mais leve. Parece antagônico o que vou lhe dizer, mas quando aumentei o número de compromissos pessoais na agenda, sobrou muito mais tempo para o trabalho; o que eu percebi de verdade é que a minha disposição, criatividade e saúde mental melhorou – e muito!

E aí, que tal começar a mudar a sua rotina e incluir o autocuidado a partir desta semana na sua agenda?

Publicado por Elisangela Baptista

MBA em Gestão Empresarial pela FGV • Graduada em Administração • Técnica em Atendimento Varejo. Trabalha há 15 anos na área Administrativa, nos últimos 5 anos focada em consultoria estratégia em negócios, atua no desenvolvimento de pequenos e médios empreendedores. Já passou por mais de 90 empresas de Campinas e região. Gosta dos pés no chão, empreender de maneira consciente, respeitando a pessoa que existe atrás de cada negócio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: