Relato de uma controladora

Orgulho tinha eu, ao dizer ter tudo controlado, tanto na vida pessoal, quanto no trabalho, doce ilusão a minha.
Demorei muito tempo para perceber que nesta vida, nada controlamos.
Muitas coisas aconteceram nos últimos anos, algumas delas realmente deixaram minha vida de pernas para o ar, mas de alguma maneira, isso tudo me fortaleceu e me ensinou coisas que hoje, refletem em tudo, inclusive no trabalho.

O herdeiro incompreendido

Se há um ser incompreendido no empreendedorismo, este é o herdeiro.
Ele é julgado pelas pessoas como um, “almofadinha”, antes de poderem se pronunciar a respeito, pois todos acreditam que tudo o que ele tem, veio sem esforço e nenhum trabalho.
Por outro lado, ele carrega o peso que só um herdeiro tem, tendo que continuar o legado que veio de outras gerações, sem falhas.

Sonho de Empreender

Somos reconhecidos como um dos povos mais criativos do mundo.
Talvez, tudo o que aconteceu aqui em nosso país, desde a “descoberta” dele, nos empurrou a desenvolver toda essa criatividade, que, na verdade, eu chamaria de resiliência em último grau.
Mas possa ser também, o fato de estarmos inseridos neste cenário cheio de vida, em um país tropical, diverso, formado por inúmeras culturas.
E qual relação tem a criatividade com o sonho de empreender? Tudo.

Uma carta aberta para você

Esta carta aberta é para você, que nos acompanha ao longo desses dois anos, que mesmo vivendo com seus anseios e medos, uma vida corrida sabemos, ainda investe tempo para nos ler, nos ouvir ou nos assistir.
Você é o principal motivo de existirmos, você nos instiga com suas dúvidas e questionamentos, mas também com seus incentivos.

Diário de uma Empreendedora: Letícia, aquela que se sente inadequada

A exaustão vem tomando conta de mim, acordo sempre com um aperto no peito, angustiada, com o sentimento de que estou sempre atrasada.
Não importa se acordo às 06h, 07h, 08h… toda manhã, sinto que estou atrasada diante do mundo.
Você viu aquele novo curso sobre gerenciamento de redes sociais, Letícia? – minha irmã me pergunta logo cedo. E eu, que mal tive coragem de fazer meu primeiro café do dia, me encolho e começo a sentir a pressão.