Orgulho tinha eu, ao dizer ter tudo controlado, tanto na vida pessoal, quanto no trabalho, doce ilusão a minha.

Demorei muito tempo para perceber que nesta vida, nada controlamos.

Muitas coisas aconteceram nos últimos anos, algumas delas realmente deixaram minha vida de pernas para o ar, mas de alguma maneira, isso tudo me fortaleceu e me ensinou coisas que hoje, refletem em tudo, inclusive no trabalho.

Formada em Administração e com MBA em Gestão, o controle é a base de tudo o que eu conhecia, mas ali, ele costumava aparecer com o nome de “planejamento”. Planejar é importante? Sim, é claro, sem o mínimo de planejamento e organização, viveremos nossa vida empreendedora, como um trem desgovernado.

Em outro texto do Blog, havia comentado que em meados de 2014, quando iniciei meu trabalho como consultora, era possível montar planejamento a longo prazo, com grandes projeções, tendo como base, históricos registrados e o momento atual, até que percebi em 2016 não ser mais possível seguir neste mesmo modelo de análise.

Muitas coisas acontecem no mundo o tempo todo, sejam as mudanças do mercado, de comportamento das pessoas, surgimento de novas ideias, novos modelos de negócios, coisas essas que podem ser vistas como oportunidades ou ameaças, isso dependerá do meu ponto de vista ou momento.

Em 2020, todos fomos pegos de “surpresa”, pois percebemos como a nossa falsa sensação de controle, estava sendo quebrada. Tudo o que havíamos planejado, precisou ser revisto e redesenhado.

Foi um caos para a maioria dos empreendedores que conheço.

A maioria foi envolvida pelo medo, tanto por eles, quanto pelos seus familiares, sem compreender o que realmente estava acontecendo.

E além desta insegurança em relação ao risco da doença e da perda de pessoas queridas, veio o medo do seu negócio deixar de existir e as famílias que dependiam deles, perderem seus empregos, enfim, muita insegurança e ansiedade envolvida.

Quando algo muito novo acontece e apresenta riscos nós recuamos, e foi exatamente isso o que ocorreu.

Subitamente, eu que tinha 12 clientes na consultoria, passei a atender 2. Pois, todos estavam tentando entender o que realmente estava acontecendo. Eu mesma, recuei em vários projetos e iniciativas.

Agora, escrevendo este texto, em agosto de 2021, percebo outro movimento acontecendo, já não tenho mais agenda disponível para novos clientes na consultoria, há alguns projetos diferentes em paralelo, comecei em um novo formato de trabalho, dois livros foram lançados e me inscrevi em uma segunda graduação.

Percebo que as pessoas estão começando a enxergar esperança de dias melhores, e tentam na medida do possível, montar seus planos. No entanto, o planejamento sempre envolve a frase “o que posso fazer agora?”.

O futuro está ficando no futuro.

Semana passada, em uma reunião com um cliente que sempre preferiu trabalhar com planejamento prévio, discutimos como não seria possível agora, criarmos algo pensado apenas no amanhã.

Ele virou para a equipe e disse: “hoje, devemos fazer isso, o amanhã, dependerá do desenrolar de toda essa situação”.

Confesso que eu jamais imaginei, que algum dia, conseguiria pensar apenas no agora. Ouvi tantos gurus e especialistas em comportamento humano, indicando que vivêssemos o agora, para estar completamente envolvida com o presente, mas eu, em estado de ansiedade imensa, e envolvida demais em planejamentos futuros, acreditava que tudo se tratava de uma utopia.

Entretanto, não tenho uma opção melhor, que não seja focar no aqui e agora.

Me desprendi temporariamente do planejamento à longa data, quer dizer, não sei bem se é temporário ou este fará parte do meu novo eu, mas o que sei, é que por hoje, me adapto ao que acontece. Apenas tento compreender as novas diretrizes e pensar nas melhores soluções possíveis para tais situações.

Acredito que além de desenvolver melhor a capacidade de estar presente no agora, o poder de adaptabilidade se tornou ainda mais aflorado.

A cada dia, me despeço um pouco do meu eu controlador e ansioso, enquanto me aproximo do eu de agora.

Este é um relato de uma mulher que acreditava estar sobre o controle de tudo e, na verdade, percebeu que não é possível controlar nada.

Então, digo-lhe que o planejamento da administração ainda existe, porém, muito mais flexível, do que já foi um dia.

Diga-me, como você está planejando o futuro do seu negócio? Houve alguma mudança perceptível na sua maneira de desenhar o que almeja?

Publicado por Elisangela Baptista

Ama viagens, lama, trilhas e outras aventuras. Consultora e mentora estratégica em negócios. Aspirante à Escritora. Educadora em Empreendedorismo. Palestrante. Atua na área desde 2004.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: