Liquidificador das finanças

Separe o seu liquidificador, tire a tampa e comece a colocar os ingredientes.

Primeiro, o combustível que você colocou no veículo pessoal; depois o boleto daquele curso bacana que você queria fazer há tempos; inclua também o boleto do seu aluguel, água, luz e internet; não se esqueça da sua compra do supermercado do mês; o que também não pode ficar de fora são aqueles materiais que comprou online, para produzir suas encomendas. Agora, bata tudo na velocidade três até se tornar uma “massa homogênea”.

Após fazer essa receita, me diga, qual é o retorno financeiro do seu negócio? Qual é o seu pró-labore real? Seu negócio é viável?

Aposto que ficou difícil, me responder essas perguntas básicas. Afinal, em meio há uma massa homogênea, ou seja, completamente misturada e unificada, é praticamente impossível, separar a realidade da vida pessoal e dos negócios.

Por aqui, você sempre me vê trazendo textos em outros formatos, mais diretos, menos lúdicos, mas hoje, somente hoje, trouxe uma reflexão sobre finanças em forma de brincadeira, para que você visualize, como corremos o risco de diariamente, utilizarmos este liquidificador imaginário, para organizar nossos números.

O liquidificador, representa aquela rotina corrida, sem a separação das contas bancárias, sem planilhas ou aplicativos, com os lançamentos individualizados da vida pessoal e do negócio. Por vezes, ignoramos a importância de olharmos para os números, porém, a frustração não demora a chegar.

Quantas vezes, conversei com empreendedores que estavam se sentindo, completamente desmotivados, por não verem que seus negócios traziam retorno financeiro e, quando parava para analisar seus números, via sim, que o negócio era rentável, mas o sócio não, pois ele retirava de pró-labore, mais do que poderia.

Também, já tive experiências, com empreendedores, que acreditavam que seus negócios eram completamente viáveis, mas depois de muitas análises, víamos que, o negócio jamais se pagou.

Isso acontece comumente, porque o empreendedor, ao utilizar o liquidificador em suas receitas financeiras, não consegue ver o quanto ele próprio, pode estar colocando dinheiro mensalmente neste negócio ou retirando mais que o suportável.

Já que estamos usando a analogia de utensílios domésticos, que tal, ao invés de ter sempre à mão, o liquidificador que tudo mistura. Utilizar, os famosos “potes” devidamente identificados, separados, para que você consiga enxergar o que de verdade, acontece no seu negócio?

Lembre-se que o método de misturar é simples e cômodo, além de adiar a descoberta da realidade, mas se você continuar com este padrão de organização, a única pessoa a ser enganada será você. E eu, acredito firmemente que você que está me lendo agora, merece ter informações claras sobre seu negócio para que possa crescer e prosperar.

Publicado por Elisangela Baptista

Ama viagens, lama, trilhas e outras aventuras. Consultora e mentora estratégica em negócios. Aspirante à Escritora. Educadora em Empreendedorismo. Palestrante. Atua na área desde 2004.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: