A necessidade de ter um hobby

Hobby é tudo aquilo que fazemos como passatempo, por puro prazer, sem esperar nenhum retorno financeiro, apenas usamos como distração no dia-a-dia.

Muita gente me procura querendo transformar o seu hobby em um negócio de verdade, mas poucos param para analisar que, a partir do momento em que o lazer se torna empresa, é hora de ter um novo passatempo.

Já vou completar 6 anos trabalhando como consultora de negócios. Quando criança, eu brincava sempre de administrar pequenos comércios; na adolescência, isso virou um passatempo divertido, mas eis que ele virou o meu “ganha pão”. Por mais que eu adore o que eu faça, percebi que precisava ter outras atividades que me dessem prazer fora do trabalho.

Fui atrás de várias atividades que pudessem se tornar meu hobby.

Nos fins de semana, uma das coisas que mais faço é pegar o carro e ir para locais onde não têm sinal de celular, onde o meu contato com a natureza seja pleno, onde eu possa ficar descalça e sujar os pés de lama ou apenas deitar na grama. Toda essa desconexão com o mundo virtual ativa a minha criatividade e me traz fôlego para tocar a semana.

Quando atolamos o carro, ou ajudamos um amigo a sair de um buraco, isso mostra o quanto precisamos um do outro na comunidade.

As vezes em que precisamos descer do carro, analisar o terreno para ver os obstáculos que virão pela frente mostram o quanto posso contornar os desafios na minha vida.

Além, do meu amor pelo offroad, tenho outros amores, como praticar trekking com pessoas que nunca vi pela frente, o que me ajuda a trabalhar a timidez, além de conhecer histórias incríveis; beber cerveja artesanal e conhecer todo o processo produtivo delas, conhecer cafeterias e viajar – ah viajar! isso eu gosto demais: já cheguei a fazer dezenove viagens dentro de um ano, porque conhecer novos lugares, novas culturas e pessoas me traz um senso de pertencimento enorme. Nesses passeios, sempre acabo conhecendo novas maneiras de empreender que ainda não havia pensado, o que facilita o meu trabalho.

Falei aqui sobre as minhas paixões e curiosidades para te incentivar a cultivar também um hobby, pois aquilo que você ama fazer, a partir do momento que se tornou negócio, te traz diversas obrigações, é o tal de “ter que”, você “tem que entregar na data”, “tem que fazer bem feito”, “tem que cumprir agenda”, “tem que gerar lucro” e “tem que pagar o seu salário”. As pressões de ter o próprio negócio podem se tornar insustentáveis se você não tiver atividades que deem prazer no dia-a-dia.

Obrigações todos nós temos aqui, mas podemos torná-las algo mais leve e prazeroso.

Publicado por Elisangela Baptista

MBA em Gestão Empresarial pela FGV • Graduada em Administração • Técnica em Atendimento Varejo. Trabalha há 15 anos na área Administrativa, nos últimos 5 anos focada em consultoria estratégia em negócios, atua no desenvolvimento de pequenos e médios empreendedores. Já passou por mais de 90 empresas de Campinas e região. Gosta dos pés no chão, empreender de maneira consciente, respeitando a pessoa que existe atrás de cada negócio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: