Sem surpresas no final

O planejamento financeiro deveria fazer parte da nossa rotina, independentemente da área em que trabalhamos, seja você empreendedor ou não, mas, como muitas vezes não nos foi ensinado como fazer isso, temos dificuldade até de tocar no assunto.

Todo começo de ano, ouço as mesmas frases, “começo de ano tem muitas contas”, “lá vem o IPTU e IPVA de novo”, “as vendas são fracas, porque todos estão de férias”, “até o Carnaval o ano não começa então eu não vendo”, “gastei tudo no final do ano”, o mais irônico, para não dizer triste, é que as frases são repetidas sai ano e entra ano e não há nenhuma ação para tentar minimizar o impacto da baixa de vendas e aumento das despesas do começo de ano.

Qualquer negócio passa por períodos de sazonalidade, ou seja, períodos em que se vende mais ou menos, para escapar das armadilhas que podem surgir com a queda de vendas. O ideal é ter um bom planejamento financeiro. Mas como fazer isso?

Mensalmente, devemos ter na nossa planilha, um valor separado para esse período de baixa, como se fosse uma “prestação” a ser paga por longa data. Já falei aqui no blog, sobre capital de giro, que é o valor que devemos ter em caixa para quitarmos as despesas, comprarmos matéria prima e termos como girar o negócio. Pois bem, este valor que devemos guardar mês a mês é um complemento deste capital.

Na prática, estou te sugerindo que tenha em mãos a média de valor que deverá ser pago, por exemplo, do valor das férias do funcionário, 13º, IPVA, IPTU, seguro etc. Agora pegue este valor total e divida por 12 meses; esse é o quanto você deverá guardar mês a mês, para quando essas contas chegarem.

Se você conseguir fazer o planejamento com antecedência, o que irá acontecer além de não ter grandes surpresas, é que poderá obter grandes descontos, pagando algumas dessas contas à vista, e isso te renderá, na prática, bem mais que ter o dinheiro investido em poupança, por exemplo.

Para a baixa de vendas que conversamos no início do texto, devemos ter em mente, que talvez seja o período para rever o portfólio de produtos, fazer contagem de estoque e verificar quais produtos estão parados há muito tempo e que podem ser liquidados em uma promoção, entrar em contato com clientes para campanhas pontuais, promover um pequeno encontro para “aquecer” as vendas.

Mas saiba que, se você conseguir se planejar financeiramente para os tempos de baixa, a queda de vendas irá incomodá-lo cada vez menos, pois esta queda acontece em todo o mercado, não é uma exclusividade apenas do seu negócio. Com planejamento, a sua vida empreendedora e pessoal irá ser mais tranquila e com menos pressão para alavancar vendas em uma época que todos parecem não comprar nada.

Publicado por Elisangela Baptista

MBA em Gestão Empresarial pela FGV • Graduada em Administração • Técnica em Atendimento Varejo. Trabalha há 15 anos na área Administrativa, nos últimos 5 anos focada em consultoria estratégia em negócios, atua no desenvolvimento de pequenos e médios empreendedores. Já passou por mais de 90 empresas de Campinas e região. Gosta dos pés no chão, empreender de maneira consciente, respeitando a pessoa que existe atrás de cada negócio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: