Canvas, como modelagem de negócios

Não sei se você sabe, mas um dos primeiros passos para colocar um projeto ou um negócio no ar, é “modelar” esse projeto de uma maneira que você consiga enxergar os pontos principais dele.

Já é sabido que a velocidade de tudo mudou por aqui, basta olharmos para nós mesmos: já não sabemos esperar pela resposta de um e-mail, de uma mensagem no whatsapp, não temos paciência para ficar em uma fila de banco ou de um restaurante, utilizamos cada vez mais aplicativos para agilizar nossa vida no dia a dia. No empreendedorismo isso não é diferente.

Antes era necessário elaborar um plano de negócios extenso, com previsibilidade de pelo menos 5 anos para frente, com páginas e páginas demonstrando o que a empresa iria executar. Este documento era complicado, demorado e de difícil leitura para a maioria das pessoas.

Em 2008, Alexander Osterwalder juntamente com centenas de consultores e empreendedores do mundo todo, criaram o Canvas, uma ferramenta simples e visual para modelar o negócio antes de executá-lo.

O Canvas não substitui o plano de negócios, ele surgiu para agregar valor ao que antes já funcionava, porém não na velocidade necessária. Hoje o indicado é que, ao você pensar lançar um produto ou empresa, pegue um quadro grande desenhado o Canvas e comece a utilizar post-it, para preenchê-lo, utilizando as cores a seu favor. Ah! e por que post-it? Por que fica fácil trocar ou eliminar uma ideia que não esteja compatível com o projeto.

Os primeiros quadros do Canvas que devem ser preenchidos é o segmento de clientes, no qual você analisará quem é o seu cliente, o que ele faz na sua rotina, qual sua classe social, faixa etária, qual o seu gênero e quais suas dores, e em seguida a proposta de valor, em que você deverá preencher como conseguirá entregar valor para o seu cliente para resolver suas principais dores e angústias. Só nesta fase você levará bastante tempo pensando, mas o resto fluirá.

Em seguida, pode ser preenchido todo o restante do lado direito do painel, como: os principais canais de vendas, como será o relacionamento com este cliente e quais serão os principais produtos e fontes de receitas do seu negócio (preencher no máximo três).

Logo após, é preciso preencher o lado esquerdo, ou seja, o que será preciso para entregar este valor para este cliente: quais serão seus principais parceiros, quais recursos serão extremamente necessários, as principais atividades do dia a dia e os custos que implicarão para executar este projeto.

Assim que o seu projeto estiver totalmente modelado, é hora de validar essa ideia no mercado, conversar com as pessoas, entender se a sua solução realmente resolverá um problema para elas e, se a resposta for sim, é hora executar e começar, em paralelo, elaborar aquele plano de negócios, para apresentar para investidores ou bancos e para que você enxergue quais são as expectativas financeiras  do negócio como um todo.

E, se a resposta do público for negativa, então pegue a sua ideia a reformule e comece tudo de novo.

Publicado por Elisangela Baptista

MBA em Gestão Empresarial pela FGV • Graduada em Administração • Técnica em Atendimento Varejo. Trabalha há 15 anos na área Administrativa, nos últimos 5 anos focada em consultoria estratégia em negócios, atua no desenvolvimento de pequenos e médios empreendedores. Já passou por mais de 90 empresas de Campinas e região. Gosta dos pés no chão, empreender de maneira consciente, respeitando a pessoa que existe atrás de cada negócio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: