Portfólio, coleção ou produtos aleatórios?

Uma dúvida que todo empreendedor tem é como definir as estratégias relacionadas à criação de produtos.

Primeiramente, antes de decidir qual produto será feito e em que tempo deverão lançados novos, é preciso avaliar as reais necessidades do público-alvo.

Hoje em dia, muitas empresas pecam em ofertar produtos que elas gostam, ou que acreditam que darão certo, sem validar se as pessoas realmente precisam ou almejam comprar determinado item. Algumas vezes chegam a ficar com produtos encalhados, simplesmente porque ninguém o achou interessante, mesmo que a ideia parecesse incrível.

Antes de definir qual será o seu portfólio, é preciso fazer uma pesquisa de mercado, ela deverá ser online e offline, feita diretamente para o perfil para o qual você almeja vender seus produtos ou serviços.

Crie um questionário com perguntas abertas, ou seja, que não gerem respostas sintetizadas como apenas “sim” ou “não”, mas que gere detalhes para que possa ser utilizado posteriormente. É importante também não condicionar as perguntas, para que colha a resposta que quer ouvir, deixe as pessoas livres para expressarem suas opiniões.

É importante que pergunte quais são as necessidades, dores, gostos e o que fazem no dia-a-dia para que você consiga desenhar a sua persona e para que ela seja o mais próximo possível do cliente que você queira alcançar.

Somente após avaliar essas respostas, é o momento de definir qual será o seu portfólio de produtos.

Com as mudanças de mercado, percebemos que as pessoas estão cada vez mais preocupadas com o consumo consciente, por isso talvez não seja interessante criar o conceito de coleções, pois pode gerar produtos parados em estoque. Pense em um portfólio com produtos de “entrada” que possam ser vendidos a um valor mais acessível, mas que ajude a girar seu fluxo de caixa; depois disso tenha produtos que tenham um valor agregado maior, que sejam duráveis e que não exijam tanto esforço em marketing; e tenha produtos conceituais para demonstrar o seu diferencial.

A ideia aqui, é correr menos riscos, não deixar produtos parados no estoque por muito tempo, portanto faça um bom planejamento, fique atento às mudanças do mercado e não caia nas tentações de fazer tudo o que te pedem, a não ser que seja realmente algo relacionado ao seu negócio.

Saiba quanto tempo você levará para produzir cada item, tenha uma ficha técnica bem desenvolvida e anote toda a formação de custos de cada produto; isso facilitará a sua rotina e a precificação dos produtos.

Publicado por Elisangela Baptista

MBA em Gestão Empresarial pela FGV • Graduada em Administração • Técnica em Atendimento Varejo. Trabalha há 15 anos na área Administrativa, nos últimos 5 anos focada em consultoria estratégia em negócios, atua no desenvolvimento de pequenos e médios empreendedores. Já passou por mais de 90 empresas de Campinas e região. Gosta dos pés no chão, empreender de maneira consciente, respeitando a pessoa que existe atrás de cada negócio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: