“Multiplica por 3 e vai” ou tem mais coisas embutidas no preço? 

Ah esse preço de venda, que tanto tira o sono dos empreendedores!

O que mais vejo por aí são pessoas vendendo seus produtos a preços baixos ou utilizando um fator de precificação aleatório.

Há muitos anos venho percebendo que muita gente utiliza a regra de multiplicar a matéria-prima ou o produto que será revendido por 3 e pronto: acreditam ter o preço ideal. Acredite! Vejo empreendedores utilizando essa regra desde que tinha 16 anos (quando comecei a trabalhar no comércio) e, até hoje, nada mudou; a cada novo negócio, percebo que a regra é a mesma.

Porém, quando questiono se esse preço está cobrindo os custos e gerando lucro, dificilmente o empreendedor sabe me dizer com clareza.

Existem diversas maneiras de precificar um produto, seja por markup, análise de mercado, preço por inovação/diferenciação, tudo dependerá do ramo em que este negócio está inserido.

O que mais utilizo por aqui é o markup, que é um fator que deve ser multiplicado no valor de matéria-prima e dele surge o preço de venda. De acordo com essa linha de raciocínio, cada produto é responsável por quitar uma porcentagem do custo fixo e variável de um negócio além de gerar lucro, porém prefiro não me prender a apenas essa forma de precificação, pois antes de lançar no mercado é necessário também analisar os diferenciais do negócio, o valor agregado dos produtos, a realidade do mercado, público-alvo e qual é a prática da concorrência.

Portanto, antes de colocar o preço do seu produto, saiba exatamente se ele cobrirá todos os seus custos fixos (aluguel, água, luz, telefone, funcionário…) e variáveis (fornecedores, embalagens, impostos sobre vendas, comissões…) e ainda gerará lucro, antes de mais nada, analise qual é o ponto de equilíbrio do seu negócio, ou seja, qual é o faturamento mínimo que você deve ter mês a mês para que ele seja viável e aí verifique qual a sua média de vendas por produto e entenda quantos itens você deverá vender para atingir este valor.

Resumindo, a regra de multiplicar por 3, muitas vezes, pode não ser a prática ideal para o seu negócio, cada empreendimento tem a sua particularidade: para uma empresa o markup pode ser 2; para outra, pode ser 8, Outra coisa importante a se dizer é que você pode ter produtos com markup’s diferentes, pois alguns itens podem ter a margem de lucro diferente do outro, o que altera todo o fator multiplicador. É preciso pensar estrategicamente nesse momento e avaliar qual produto pode ser mais lucrativo do que o outro, mas depois falaremos mais sobre isso.

Publicado por Elisangela Baptista

MBA em Gestão Empresarial pela FGV • Graduada em Administração • Técnica em Atendimento Varejo. Trabalha há 15 anos na área Administrativa, nos últimos 5 anos focada em consultoria estratégia em negócios, atua no desenvolvimento de pequenos e médios empreendedores. Já passou por mais de 90 empresas de Campinas e região. Gosta dos pés no chão, empreender de maneira consciente, respeitando a pessoa que existe atrás de cada negócio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: